Prefeitura de Cajamar inicia 2ª turma do Programa “Vida Saudável”

taageero-banner
A Prefeitura de Cajamar iniciou em Setembro de 2016, o Programa “Vida Saudável” que tem conquistado a cada nova turma um número maior de participantes.
No dia 19, as nutricionistas e psicólogas da Diretoria Municipal de Saúde, realizaram a primeira etapa do Programa com palestra e avaliaram como positivo o trabalho feito em 2016. O resultado foi satisfatório em relação ao peso e aos aspectos familiares. O autoconhecimento e a relação com a comida ficou equilibrada.
Quando questionados aos participantes sobre o uso das dietas da moda (sopa, pontos e shakes), a maioria confirmou que retirava da internet, mas que acabavam desistindo por fraqueza ou por não verificarem o resultado esperado. “Estas dietas são artifícios que prometem resultados rápidos e milagrosos, mas não existe comprovação científica disto. O emagrecimento rápido faz perder massa muscular e promove o efeito sanfona (emagrece, engorda). Além disso, existem outros fatores que interferem no resultado como alimentação inadequada, sedentarismo, genética, menopausa, stress e alguns medicamentos de forma continuada” – afirmou a nutricionista.
Nosso metabolismo desacelera 1% ao ano a partir dos 25 anos, tanto em homens quanto em mulheres. Por isso a necessidade de reeducação alimentar juntamente com atividade física frequente.
Na segunda etapa a equipe de nutrição mediu e pesou os participantes, e equipe de saúde aplicou a Escala de Compulsão Alimentar Periódica (ECAP) com o objetivo de estudar o comportamento do “comer compulsivo”.
O Programa tem a duração de aproximadamente 3 meses e consiste em alongamento, medida da pressão arterial e caminhadas com Educador Físico, às 4ªs feiras, seguindo um cronograma pré-estabelecido pela equipe de Nutrição e Psicologia. No entanto, para que se obtenha o resultado esperado as atividades físicas e a alimentação devem ser permanentes.
“O enfrentamento e a elaboração de problemas e frustrações mexem com a parte fisiológica afetando a mente e o corpo. Quando me autoconheço consigo solucionar uma situação de cada vez sem me destruir”, completou a psicóloga.
“Eliminei 40 kg em um ano, comendo de 3 em 3 horas, ingerindo frutas e excluindo refrigerante e pão. Aprendi a fazer a mastigação do alimento. Tinha artrose e fiquei quase um ano sem colocar o pé no chão. Precisei escolher entre viver ou morrer, comentou a munícipe Zilda, que procurou o Programa para incluir atividade física aos hábitos saudáveis de alimentação adquiridos após o “susto”.
Frequentadora do grupo desde o ano passado D. Marlene disse que procurou ajuda após a aposentadoria do esposo, Sr. Silvano e por ter problemas graves de saúde. “Depois que me aposentei meus colegas ligavam e perguntavam se eu estava deitado no sofá. Me tornei pré-diabético e deprimido. Comecei a mudança com a alimentação. No primeiro dia do Programa a palestra ajudou a me libertar do pesadelo”, contou o Sr. Silvano. Saudáveis os dois concordam: “milagres não existem”.
A obesidade pode afetar o organismo de várias maneiras causando dermatites (coceiras), estrias, alguns tipos de câncer (mama, útero, próstata, esôfago, estômago e intestino), causando ainda deformidades ósseas, psicossociais (comportamento, humor, personalidade), hipertensão, acidente vascular cerebral, trombose, diabetes, gota, baixa fertilidade e hérnia entre outros.
Para participar da próxima turma, em agosto, é necessário fazer inscrição na sala da nutrição da UBS do Polvilho, ou por telefone 4408-6627, das 8h às 14h.

Comente essa matéria com o Facebook: