Mulheres de presos tentam entrar com drogas no presidio de Franco da Rocha

Familiares dos presos esconderam os entorpecentes em balas, no cós de uma calça e em um par de tênis e enviaram à unidade penal.

O Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Franco da Rocha registrou, no último final de semana, várias apreensões envolvendo correspondências enviadas ao presídio. 

Em dois casos, ocorridos no sábado (17), mãe e esposa de sentenciados esconderam pedaços de papel semelhantes ao K4 entre o solado e a palmilha de chuteiras. No total, 631 recortes de papel foram flagrados.

No domingo (18), outros quatro flagrantes de ilícitos ocorreram na unidade prisional. Todos eles possuíam pedaços de papel com características do sintético K4.

Familiares dos presos esconderam os entorpecentes em balas, no cós de uma calça e em um par de tênis e enviaram à unidade penal.

Os agentes do CPP contabilizaram 75 recortes de papel e 42 micropontos de cor amarela introduzidos nos objetos.

Tática parecida foi usada pelo pai de um preso da Penitenciária I “Mário de Moura e Albuquerque” também no sábado, 17. Uma par de tênis possuía 17 filipetas de papel com características de droga sintética escondidas no solado. 

Já na Penitenciária II “Nilton Silva”, na última sexta-feira (16), agentes de segurança encontraram 80 gramas de suposta cocaína camuflados dentro de cigarros. No mesmo dia, 24 pedaços de papel parecidos com o entorpecente K4 foram flagrados dentro de barras de sabão.

Também estavam ocultos em barras de sabão outros 24 fragmentos de papel, enviados ao presídio no último sábado (17), pela mãe de um custodiado.

Todo o material foi encaminhado à Delegacia de Polícia da cidade para a realização dos boletins de ocorrência.