Idosa com filho deficiente vive em condições precárias no bairro da Calcária

Com uma cama feita de palets, banheiro sem privada e telhas quebradas, a idosa vivem sem as mínimas condições de conforto, alimentação e higiene.

Reprodução

Um vídeo divulgado nas redes sociais está comovendo a população da região. No vídeo, uma mulher mostra a situação que vive a Dona Cida de 68 anos, doente, seu filho deficiente, e seu irmão, que residem na Rua Juvêncio de Jesus “Rua da Bica”, no bairro da Calcária, em Caieiras, próximo da divisa com Cajamar.

Com uma cama feita de palets, banheiro sem privada e telhas quebradas, a idosa vivem sem as mínimas condições de conforto, alimentação e higiene. A idosa tenta sobreviver em meio à ajuda de conhecidos.

No vídeo a internauta ressalta que a família vive em apenas um cômodo, com chão de terra e sem janelas.


Relato Associação dos Moradores da Calcária

Luciene Rodrigues, membra da Associação dos Moradores da Calcária, relata que dona Cida foi e é ajudada pela assistência e por algumas pessoas. Luciene disse que a casa está desta forma por causa do filho. “Já foi trocado as telhas três vezes, colocando portas, mas o filho infelizmente quebra tudo” O filho é especial até agora não conseguimos um tratamento para o rapaz, porque toda vez é difícil pegar ele; então, para ajudar ela e irmão, primeiro temos que ajudar o filho, porque não adianta comprar e arrumar a casa o filho quebrar tudo” – disse Luciene que ressaltou que quem quiser mais informações sobre o caso, pode ligar para (11) 99676-8356.

A Assistência Social de Caieiras já realizou assistência para Dona Cida, porém, de acordo com apuração do Destaque Regional, Cida nunca aceitou a internação do filho. Atualmente a Assistência Social de Caieiras envia cesta básica para a família que também é atendida por comunidades religiosas.

O cômodo, que atualmente dona Cida mora, foi uma doação da dona Fátima, uma comerciante do local e aos poucos os moradores realizam ajuda e manutenção do local, porém, o filho volta a “quebrar” a casa.

Precisamos de ajuda para o filho para depois poder ajudar a Dona Cida” – relata Luciene.

Veja abaixo o vídeo gravado no local no dia 01/12/2020:

Comente essa matéria com o Facebook: