Grande SP teve o menor número furtos, roubos em geral e de veículos em setembro

Os furtos em geral e de veículos tiveram os menores números da série histórica, iniciada em 2001

A região metropolitana de São Paulo terminou o mês de setembro com redução em todas as modalidades de furtos, nos roubos em geral e de veículos. Também houve recuo no indicador de estupros e na quantidade de vítimas de latrocínios. No período não foram registradas ocorrências de roubo a banco e extorsão mediante sequestro.

Os furtos em geral e de veículos tiveram os menores números da série histórica, iniciada em 2001. O primeiro indicador passou de 5.248 para 4.704, se comparado o nono mês de 2019 ao de 2020. Isso representa uma queda de 10,4% ou de 544 boletins em números absolutos. Já os furtos de veículos diminuíram 31% – passaram de 1.822 para 1.257 (- 565 casos).

A tendência se estendeu para o indicador de roubos em geral, que apresentou 3.677 registros em setembro deste ano, ante 4.582 em igual mês do ano anterior – a redução foi de 19,8%.

Nos roubos de veículos o recuo foi de 19,2%, passando de 970 para 784 – 186 boletins a menos. O número é o menor da série histórica.

Pela terceira vez consecutiva o indicador de roubo a banco permaneceu zerado no nono mês do ano. Em contrapartida, os roubos de cargas tiveram 28 boletins a mais – passou de 102 para 130.

No período não foram registradas extorsões mediante sequestro na região. Em setembro do ano passado houve duas ocorrências.

Outros indicadores

Em setembro, a Grande São Paulo contabilizou 16 casos e 18 vítimas a mais de homicídios dolosos. Com isso, as taxas dos últimos 12 meses (de outubro de 2019 até setembro de 2020) ficaram em 6,75 ocorrências e 6,99 vítimas de morte intencional para cada grupo de 100 mil habitantes.

Os latrocínios, por sua vez, ficaram estáveis, com seis ocorrências, mas apresentou uma vítima a menos.

Produtividade

O trabalho das polícias paulista na região metropolitana de São Paulo, em setembro, resultou em 2.032 prisões e na apreensão de 142 armas de fogo ilegais. Também foram registrados 477 flagrantes por tráfico de entorpecentes.