gif_Taageero-iloveimg-compressed
A região metropolitana de São Paulo terminou o mês de agosto de 2017 com queda nos indicadores de casos e vítimas de homicídios dolosos e latrocínios, além nos roubos e furtos em geral e de veículo.
As mortes intencionais tiveram queda de 7,14% no oitavo mês do ano, passando de 56 para 52, com quatro ocorrências a menos. O total de homicídios dolosos contabilizados na Grande São Paulo é o menor número de toda a série histórica, iniciada em 2001.

Já o número de vítimas do indicador apresentou diminuição de 10%, passando de 60 para 54 e alcançou também o menor número da série. Assim, as taxas de homicídios chegaram a 9,24 casos e 9,88 vítimas a cada grupo de 100 mil habitantes – de setembro de 2016 a agosto deste ano.

Em agosto, também houve recuo de 42,86% nos registros de boletins de ocorrência de roubos seguidos de mortes. O total de latrocínios passou de sete para quatro, ou seja, três a menos. No mesmo período, o número de vítimas caiu pela metade, com quatro registros contabilizados este ano.
As ocorrências de estupro tiveram alta de 30,26% em agosto, com 198 casos registrados. Os casos de extorsões mediante sequestro ficaram zerados em agosto – é a quarta vez na série histórica e a terceira consecutiva que o indicador fica zerado no mês analisado.
Indicadores de roubos e furtos
VITA
Os roubos em geral tiveram redução de 9,59% no mês, passando de 6.848 para 6.191 casos, com 657 a menos. Já os roubos de veículo recuaram 8,63%. O total passou de 1.808 para 1.652 ocorrências – 156 a menos. É o menor número desde 2010 (1.497 casos).

Apenas um registro de roubo a banco foi contabilizado no mês de agosto de 2017. No mesmo período do ano passado não houve registro. Em relação aos casos de roubos de carga, a Grande São Paulo teve elevação de 24,34%, já que o total passou de 226 para 281 ocorrências no período mensal.

Os furtos em geral apresentaram diminuição de 0,71%. Foram 6.039 casos no mês passado, ante 6.082 em igual período de 2016.  Já os furtos de veículo tiveram redução de 3,6% – passando de 2.029 para 1.956.
Produtividade policial
O trabalho ostensivo e investigativo das polícias Civil, Militar e Técnico-Científica na região metropolitana do Estado de São Paulo atingiu recorde de prisões e de flagrante de tráfico de drogas em agosto.
No oitavo mês do ano, o número de prisões na Grande São Paulo foi de 3.411. A quantidade é 18,85% maior em relação ao mesmo período de 2016. É a primeira vez que o mês de agosto ultrapassa 3 mil prisões.

Os flagrantes de tráfico de entorpecentes subiram 18,92% no mês, de 555 para 660 – a maior quantidade da série. O total de flagrantes resultou, no mesmo período, na apreensão de mais de 2,8 toneladas de drogas.