quinta-feira, dezembro 1, 2022
spot_img
quinta-feira, dezembro 1, 2022
spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Fabrica da BIC finaliza transferência para Cajamar

spot_img
spot_img
quinta-feira, dezembro 1, 2022
spot_img

A BIC do Brasil S.A. finalizou sua transferência de Cabreuva para Cajamar. Com uma cerimônia discreta de acordo com uma de suas filosofia, apresentou a nova casa do Parque Empresarial Anhanguera 33, em Cajamar, para poucos convidados.

Antes da reunião informal no refeitório da empresa, na rua Osasco no condomínio empresarial, o ex-presidente Douglas Ribas recebeu das mãos do atual, o porto-riquenho Edgar Hernandez, uma placa de prata pelos 28 anos de dedicação à multinacional francesa. 

“Desculpem minhas lágrimas. O mérito não foi só meu. Somos uma equipe e isso é o mais importante, foi trabalho de uma equipe. Nós vivemos na simplicidade, com os olhos voltados para o futuro. Eu não mereço tanto! Obrigado”, desabafou Douglas.
Na verdade, o novo prédio é um centro administrativo, onde são tomadas as decisões e definidos os investimentos para toda América Latina e também para o Brasil. As cifras da mudança alcançaram os R$ 5 milhões. 

Líder no mercado de canetas, com 56% da fatia do bolo nacional, concentra toda sua produção de canetas, isqueiros e barbeadores na unidade de Manaus, no Amazonas.

“Qual município que não gostaria de ter em seu parque industrial a BIC? Cajamar não é diferente. As portas da prefeitura estão abertas para a família BIC. Assim, criaremos uma parceria profícua e boa para ambas as partes”, declarou o prefeito de Cajamar.

Porque Cajamar?
“A BIC acredita no Brasil desde 1958 e, em 1961, manufaturou sua primeira caneta em São Paulo. Entre os vários itens que pesaram na escolha de Cajamar, está o fato de 70% de nossos funcionários estarem próximo daqui. Além da cidade nos receber de braços abertos e ser muito progressista, como a BIC”, explicou Hernandez.

Em 2006, muitas parcerias serão firmadas entre a BIC e a Prefeitura de Cajamar. Entre os projetos a serem implantados está o Natal da Esperança. “Nosso objetivo é com este trabalho social arrecadar 20 toneladas de alimentos para serem distribuídos para famílias carentes do município”, já previu Hernandez.

Os números da BIC assustam. Produz em um dia apenas um dia um milhão de canetas. No mesmo período vende 21 milhões. Já por dia são confeccionados 4 milhões de isqueiros e 8 milhões de lâminas de barbear.

Siga o Destaque Regional nas Redes Sociais

98,544FãsCurtir
21,162SeguidoresSeguir
110SeguidoresSeguir

Mais lidas