Comunidade Queixadas em Cajamar fazem manifestação contra ordem de despejo

Os moradores da comunidade invadiram a área particular no dia 13 de junho de 2019 e desde então, a proprietária da área invadida segue buscando os recursos da justiça para que possa reaver seu terreno.

Na tarde desta sexta-feira (25) os moradores da Comunidade Queixadas, localizada no bairro do Panorama, Distrito do Polvilho em Cajamar, realizaram uma manifestação pacifica na Av. Tenente Marques, rumo à praça do Ginásio Municipal. A manifestação é contra a ordem de despejo que pode ser aprovada pela Justiça na próxima terça-feira (29).

Os moradores da comunidade invadiram a área particular no dia 13 de junho de 2019 e desde então, a proprietária da área invadida segue buscando os recursos da justiça para que possa reaver seu terreno. (veja a matéria).

Posição dos Queixadas

A advogada dos Queixadas se manifestou através de um texto dizendo que as famílias da Ocupação dos Queixadas realizam uma manifestação pacífica, e com todos os cuidados sanitários seguiram rumo à praça do Ginásio Municipal, em luta contra a possibilidade de despejo que pode ser determinada pela Justiça a partir de uma audiência virtual que poderá ocorrer na próxima terça-feira (29/09).

Exigimos que a Prefeitura negocie e construa com as famílias uma alternativa de moradia. Despejar 100 pais e mães de família só vai agravar o problema habitacional que hoje atinge quase 8 milhões de trabalhadoras e trabalhadores pobres em nosso país, que têm sua situação agravada pela crise econômica, o desemprego, o aumento do preço dos alimentos, o corte no auxílio emergencial. Tudo isso é mais cruel em tempos de pandemia, onde as pessoas ficarão ainda mais expostas” – disse a advogada.

O ato também contou com o apoio do Quilombaque e do MST, que atuam na região, e é parte do lançamento da campanha nacional.

Posição da proprietária do terreno

Em 2019, a proprietária do terreno disse que a área é ZEIS 5, assim como todo o Panorama I é ZEIS 5 e disse que tem a documentação do terreno. “Tenho todos os PDFs da prefeitura que comprovam os pagamentos” – finaliza.

A proprietária ainda disse que todos os documentos de propriedade foram apresentados, desde a compra do imóvel e o pagamento em dia, por mais de quarenta anos, do IPTU, apresentando.