Após lotação, Cajamar manda fiscalizar ônibus municipais

A fiscalização é para garantir o cumprimento do decreto 6.465, de 7 de abril de 2021, que estabelece aplicação de penalidades.

Divulgação SECOM Cajamar.

Desde as primeiras horas desta quinta-feira, dia 8 de abril, as equipes do Departamento de Mobilidade e Trânsito percorrem diferentes bairros em todas as regiões de Cajamar. O decreto, assinado pelo prefeito Danilo Joan, estabelece que o transporte coletivo municipal deverá funcionar com até 50% de passageiros em pé, sob pena de aplicação de multa. O usuário do transporte público de Cajamar poderá denunciar as irregularidades através App Cajamar.

Na abordagem foram averiguados também a higienização dos veículos, e a utilização de máscaras por motoristas e cobradores. A fiscalização ocorreu em pontos estratégicos do município como, por exemplo, no ponto de partida dos coletivos municipais e intermunicipais na Avenida Arujá, no bairro do Maria Luiza no distrito de Jordanésia e na Avenida Dr. Antonio João Abdalla próximo aos condomínios logísticos do Assaí e DHL em Cajamar. Durante a operação foram abordados os veículos e a checagem do número de passageiros.

Para o secretário municipal de Mobilidade e Desenvolvimento Urbano, Leandro Morette Arantes, a ação busca o melhor atendimento da população que depende do transporte público. Ainda mais em tempos de pandemia, fiscalizações deste tipo irão acontecer de forma rotineira e sem avisos prévios.
“Cuidados e prevenção são fundamentais no combate ao coronavírus, por isso estamos verificando se a empresa está cumprindo o que determina o decreto. Vale ressaltar que estaremos fiscalizando todas as linhas municipais.”, destacou.

Os passageiros Ruan Carlos dos Santos Moreira, de 25 anos e José Toni Régis Lima da Silva de 33 anos, ambos colaboradores da empresa DHL, que utilizam o transporte coletivo diariamente, aprovaram a iniciativa de fiscalização e do decreto municipal publicado pela prefeitura. “Iremos ser beneficiados com essa fiscalização para evitar aglomeração com excesso de passageiros contribuindo para evitar a contaminação do Covid-19”, afirmaram.

Comente essa matéria com o Facebook: