A implantação do Período Integral na Ana Maria Garrido Orlandin é excludente e problemática

A Discussão para tornar a única escola de Ensino Médio no Polvilho com período matutino, vespertino e noturno requer muita reflexão e participação popular.

Em uma tentativa de melhorar o aproveitamento escolar dos alunos da rede estadual e partindo da ideia equivocada de que um maior tempo na sala de aula representa maior qualidade de Ensino, o Governo do Estado de São Paulo pelo governador João Dória e o secretário da Educação Rossieli Soares da Silva vem implementando em diversas escolas do Estado o Ensino em Período Integral, como ocorreu em três escolas até agora em Cajamar (Professor Walter Ribas de Andrade, Tenente Joaquim Marques da Silva Sobrinho e Escola Élcio Cotrim).  

O novo passo que impactará a educação da nossa população é tornar a escola Professora Ana Maria Garrido Orlandin (Parque Paraíso) em um colégio de Período Integral, processo intermediado pela Diretoria Regional da Educação que fica localizada em Caieiras. Apesar dos benefícios que uma escola integral pode ter, como o aumento do rendimento escolar, favorecimento de atividades extracurriculares e em teoria a melhor orientação nutricional para o aluno, essa decisão é péssima para o munícipio e moradores do Polvilho. Afinal, a decisão deveria levar em consideração o perfil socioeconômico da cidade e as dificuldades que podem surgir devido ausência de uma escola que ofereça aulas do Ensino Médio em período matutino, vespertino e noturno no Distrito do Polvilho.

  1. Não atendimento de alunos que precisam trabalhar para complementar a renda de casa. Esse público ficará sem acesso à educação? Ou optarão por atravessar a cidade para estudar, tornando ainda mais fatigante sua rotina? ; 
  2. Não inclusão de alunos que optam por um curso técnico no contra turno, estamos em um polo logístico e industrial, seria válido incentivar cursos técnicos nas áreas que demandam mão-de-obra em nossa cidade; 
  3. Jovens que se tornaram mães na adolescência e conciliam a vida materna com a dos estudos. A mãe que persistiu em um exemplo de vida, deverá abandonar a escola devido a impossibilidade da contratação de uma babá em período integral? ; 
    1. E os professores? Serão demitidos e descartados se não conseguirem trabalhar no período integral?  

Devemos nos mobilizar e cobrar políticas integrativas, que visem uma educação de qualidade sem soltar a mão de ninguém. A participação pública no debate é primordial.  

Telefone: Diretoria Regional de Ensino Região de Caieiras: (11) 4442-8600

Comente essa matéria com o Facebook: