Grande SP tem maior redução de roubos e furtos desde 2001

Os estupros também tiveram redução de 13,2% no acumulado de janeiro a junho.

A região metropolitana de São Paulo terminou o primeiro semestre do ano com queda em todas as modalidades de roubos e furto. Além disso, houve redução nos estupros e o indicador de extorsão mediante sequestro ficou zerado.

Os roubos em geral recuaram 13,6%, passando de 29.696 para 25.652 na comparação dos primeiros semestres de 2019 e 2020. Já os roubos de veículo caíram 34,6% (de 7.474 para 4.890), atingindo o menor total da série histórica, iniciada em 2001.

No indicador de furto em geral houve redução de 24%, já que a quantidade passou de 34.801 para 26.438. Nos furtos de veículos, que também ficou na menor marca da série, a queda foi de 27,9% (10.904 para 7.865).

Os roubos a banco e de carga também tiveram queda de um e 99 casos, respectivamente. O primeiro indicador caiu de dois para um; o segundo reduziu 10,8%, passando de 920 para 821 casos desta modalidade criminosa.

Outros indicadores

Os estupros reduziram 13,2% no acumulado de janeiro a junho. Foram 1.024 ocorrências neste ano, contra 1.180 no primeiro semestre de 2019. Enquanto isso, as extorsões mediante sequestro ficaram zeradas, após um único caso ter sido contabilizado nos primeiros seis meses do ano passado.

Os homicídios subiram de 298 para 347 casos e de 323 para 361 vítimas. As taxas dos últimos 12 meses (de julho de 2019 a junho de 2020) ficaram em 6,64 casos e 6,83 vítimas para cada grupo de 100 mil habitantes – as menores para o período já registradas na série histórica.

Produtividade

No primeiro semestre do ano, o trabalho das polícias paulistas na Região Metropolitana de São Paulo resultou em 12.030 prisões e 2.821 flagrantes por tráfico de drogas registrados. Além disso, 918 armas de fogo foram retiradas das ruas.