Cajamar Noticias

Notícias

Reforma administrativa deve ser votada na Câmara de Cajamar nesta quarta (29)

Reforma administrativa deve ser votada na Câmara de Cajamar nesta quarta (29)
novembro 27
13:27 2017

taageero-banner
Banner Cajamar Noticias

Será votada nesta quarta-feira (29) na Câmara de Cajamar, a reforma administrativa, projeto elaborado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) que apurou todas as atividades exercidas pelos servidores.

“A reforma administrativa é importante para que os trabalhos sejam mantidos e a qualidade de atendimento no serviço público seja melhor, com a adequação da distribuição de tarefas de cada servidor, objetivando a eficiência e a economicidade para os cofres públicos” – informou um assessor.

Cidades como Jundiaí e São Paulo, já passaram pelas reformas.

SE NÃO FOR APROVADA?

Segundo apuração do Cajamar Notícias, caso a reforma administrativa não seja aprovada, muito mais trabalhadores serão demitidos.  Isso acontece por conta de um pedido da Procuradoria Geral de Justiça que pede o fim de todos os funcionários comissionados. A reforma, caso não seja aprovada pelos vereadores, trarão como consequência a demissão de todos os cargos comissionados e a extinção de cargos efetivos, que entre eles, incluem serviços de saúde. Ao todo, se não aprovada, serão fechadas cerca de 600 vagas

O Tribunal já julgou procedente a ADIN, a exemplo do que aconteceu em Santana de Parnaíba, onde a frente de trabalho acabou. Caso NÃO seja aprovada a reforma administrativa, a Prefeitura terá 120 dias (12 de Janeiro 2018) para encerrar todos os contratos e fechar 600 vagas, afetando diretamente os pais e mães de família.

As demissões afetarão setores vitais como Saúde, Serviços Públicos, Assistência Social, entre outros, afetando diretamente a qualidade dos serviços prestados, causando problemas na prestação dos serviços.

A sessão da Câmara tem início às 18 horas desta quarta-feira (29).

SE APROVADA?

Ainda segundo informações, com a reforma, as diretorias passarão a ser secretárias, o que já acontece em cidades como São Paulo e Jundiaí. As secretarias darão mais agilidade à máquina pública, pois são autônomas, ou seja, cada secretário pode tomar sua decisão, desburocratizando os processos.

Outro ponto importante na reforma é o fim dos “comissionados sem função”, ou seja, o contrato com funcionário será feito pela secretaria de cada pasta, com sua função específica. Isso dará maior possibilidade de fiscalização, diferentemente do que ocorre atualmente, em que o Gabinete controla centenas de funcionários espalhados pelo município.
VITA

Compartilhar

Artigos Relacionados